Guia Completo dos Lençóis Maranhenses

Publicado em 12 de agosto de 2019

Maiara Barbosa

Os Lençóis Maranhenses ocupam uma área de 115 mil hectares e o turismo acontece, basicamente, em três regiões principais: as cidades de Barreirinhas e Santo Amaro e na Vila de Atins. Os passeios vão além das dunas e incluem banho de rio e quadriciclo, por exemplo.

Importante dizer que Barreirinhas é a cidade com a maior estrutura: bancos, comércios, restaurantes, farmácias, grande rede hoteleira e hostels e mais de 45 agências de turismo. Quem busca mais sossego deve se interessar mais por Santo Amaro ou por Atins.

Nesse post você vai encontrar:

  1. Como chegar nos Lençóis Maranhenses?
  2. Onde ficar nos Lençóis Maranhenses?
  3. O que levar na mochila para os Lençóis Maranhenses?
  4. Onde comer nos Lençóis Maranhenses?
  5. Tênis ou chinelo para os Lençóis Maranhenses?
  6. Internet nos Lençóis Maranhenses?
  7. Cartões de débito e crédito nos Lençóis Maranhenses funcionam?
  8. Dica bônus

 

1- Como chegar nos Lençóis Maranhenses?

O aeroporto mais próximo é o de São Luis, capital do Maranhão. Independente do seu destino final, São Luis é o ponto de partida para a viagem até os Lençóis Maranhenses. De São Luis até Santo Amaro são 233 km e para Barreirinhas são 255 km. Para chegar até Atins é preciso seguir, primeiro, até Barreirinhas e de lá buscar um transfer pelas dunas.

Para chegar Barreirinhas existe três opções mais convencionais: aluguel de carro, ônibus e transfer coletivo. Já para Santo Amaro a opção é o transfer coletivo. Confira as vantagens e desvantagens de cada um:

  • Aluguel de carro

O carro oferece maior autonomia nos deslocamentos, porém, chegando em Barreirinhas, muita coisa se faz a pé para quem se hospeda no Centro. A opção vale para quem reserva uma hospedagem mais distante do Centro e deseja ir até a cidade passear à noite ou jantar. Ainda assim existe a opção de taxi e mototáxi. Para ir de carro até Santo Amaro precisa levar-se em conta a maré do Rio Alegre, que corta a cidade. Dependendo do nível do rio, o veículo deverá ser deixado em uma margem do rio e a travessia será feita de canoa.

Como todos os passeios são feitos na companhia de guias, em veículo 4×4, o valor pago na diária do carro pode não compensar, já que o veículo ficará parado ao longo do dia.

  • Ônibus

A empresa que faz a linha São Luis x Barreirinhas chama Cisne Branco. São quatro saídas por dia (às 6h, 8h45, 14h e 19h30) e a passagem custa R$ 60 (valor referente à agosto de 2019). Com as paradas em diversas cidades pelo caminho, a viagem pode demorar até 5 horas. Além disso, é preciso levar em conta também os gastos e o tempo do transporte até a rodoviária de São Luis e de Barreirinhas até a hospedagem na cidade.

  • Transfer

O transfer custa, em média, R$ 10 a mais que o ônibus, ou seja, a partir de R$ 70. As vantagens, porém, são muitas: o transporte te busca até a sua hospedagem ou aeroporto em São Luis e, chegando em Barreirinhas, te deixa no endereço da sua hospedagem. O mesmo sistema é seguido no transfer São Luis x Santo Amaro.

A viagem é mais rápida que o ônibus, com apenas uma parada para café. Os horários, porém, são um pouco mais limitados: um pela manhã (com saída entre 7h e 8h) e outro no final da tarde.

Ainda assim, as partidas foram programadas para que os passeios sejam encaixados na programação já que, por exemplo, quem faz a viagem no período da manhã, ainda consegue encaixar uma visita para a Lagoa Bonita, em Barreirinhas, e assistir o pôr do sol.

A agência Kairós Tur faz o transfer entre São Luis x Barreirinhas (e vice versa) em veículos seguros e climatizados. Já para Santo Amaro não recomendo, porém, o serviço da Mirotur: a van costuma sempre atrasar.

Na Pousada Bellas Águas, indicaram-me outros dois motoristas:

  • Denilson: (98) 3369-1080/ (98) 98828-6951 (oi) / (98) 9 9964-0211 / (98) 9 8917-5664
  • Cito: (98) 9 9903-3232 (oi e whats) / (98) 9 8492-6988 (claro e whats)/ (98) 9 8530-6864 (claro)

Para quem pretende ir direto para Atins é preciso parar em Barreirinhas e, de lá, pegar um transfer.

Combinando com a agência, o transporte até Atins pode ser feito logo na manhã, com a galera do passeio do dia e uma esticadinha até a pousada.

O retorno pode ser agendado com o grupo do dia seguinte, na mesma empresa, pagando apenas uma diária. Outra opção é fechar o passeio e o retorno com a pousada em Atins.

A sugestão de transfer entre Barreirinhas x Santo Amaro é o motorista Cacau. Sua viagem costuma sair entre 12h e 13h de Barreirinhas. A viagem sai por R$ 30. Contato: (98) 8484-4589 (claro) / (98) 9 9964-0211 (oi).

2- Onde ficar nos Lençóis Maranhenses?

Os três locais mais visitados nos Lençóis, Barreirinhas, Santo Amaro e Atins, contam com estrutura para receber os hóspedes. Nos três locais há opções de pousadas, hostels e campings, sendo a maior estrutura encontrada em Barreirinhas. Atins e Santo Amaro preservam um clima mais rústico, o que deixa as paisagens ainda mais belas.

Confira algumas opções de hospedagem:

  • Barreirinhas: A Pousada Central conta com quartos equipados  com ar-condicionado, wi-fi, TV de tela plana e frigobar. Próxima da Beira-Rio, a pousada oferece um ótimo custo benefício
     
    Pousada Central – Barreirinhas
  • Atins: Apesar do vilarejo contar com algumas pousadas, no Kite Point Atins o contato com a natureza é ainda maior, na beira da praia. O espaço também oferece aulas do kite surf, esporte que faz sucesso entre os meses de julho a dezembro.
  • Santo Amaro: A Pousada Bellas Águas está próximo do Rio Alegre e da entrada do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Ela é vizinha também de mercadinhos e do Restaurante Sol de Amaro, que oferece refeições saborosas com preços atraentes.

    Pousada Bellas Águas – Santo Amaro

3- O que levar na mochila para os Lençóis Maranhenses?

A mochila de quem visita os Lençóis Maranhenses deve ser muito parecida com a roupa que se usa na praia: toalha de banho e/ou canga; biquíni, maiô ou sunga e peças leves. O passeio até as lagoas são feitos de carro, por isso é tranquilo ir de shorts curto ou vestido.

Opte por peças de tecidos leves que sequem rapidamente. Use e abuse de chapéus, bonés e óculos para se proteger do sol também!

Caso prefira, use também roupas com proteção solar – ainda mais para quem planeja caminhar sobre as dunas.

No Nordeste a palavra de ordem é “protetor solar”. Mesmo em dias nublados, o sol queima e a exposição solar sem a proteção pode estragar o passeio. Lembre-se de repassar o protetor ao longo do dia.

Andar com um repelente e um antialérgico na bolsa também é aconselhável para evitar desgastes com picadas.

4- Onde comer nos Lençóis Maranhenses?

No Beira Rio, em Barreirinhas, há diversas opções de restaurante que oferecem pratos da gastronomia nordestina, além da culinária japonesa e italiana. Entre os restaurantes mais disputados estão o Bambu e Canoa, com especialidade em peixes e frutos do mar.

O restaurante Gaúcho oferece churrasco no esquema self service no almoço e, à noite, há pizzas e pratos individuais.

Próximo dali também existem lanchonetes, hamburguerias e restaurantes que servem caldos e cafeterias. Para quem quiser curtir uma noite “raiz” a pedida é o Restaurante Terral Bom Bordo, que fica Avenida Joaquim Soeiro de Carvalho, no caminho oposto do Centro, sentido beira-rio.

Em Atins, os restaurantes mais famosos são os dos irmãos Sr. Antônio e Dona Luzia. Cada um com seu espaço, eles oferecem o famoso camarão grelhado, que sai por R$ 80 o prato para duas pessoas.

Santo Amaro conta com algumas opções de restaurantes e pizzaria na praça principal. O Restaurante Sol de Amaro oferece pratos a partir de R$ 20.

5- Tênis ou chinelo para os Lençóis Maranhenses?

Uma pergunta muito frequente para quem planeja visitar os Lençóis Maranhenses é sobre o calçado. Apesar da adaptação do calçado variar em cada pessoa, a grande maioria opta pelo chinelo. O chinelo é o calçado usado somente entre a hospedagem-carro-desembarque. Nas dunas é tranquilo caminhar descalço, já que os ventos constantes garantem que a areia não esquente em nenhuma época do ano.

Nem mesmo quem faz o trekking costuma a caminhar de tênis, uma vez que os grãos da areia podem entrar no calçado e, com a fricção com a pele, podem surgir esfolados ou bolhas. Nesse caso, para as longas caminhadas, há quem prefira levar pares de meia.

6- Internet nos Lençóis Maranhenses

Desconecte-se para curtir a natureza! Mesmo que desligar os dados móveis ainda seja sacrifício para muitos, em alguns lugares a própria natureza se encarrega disso.

Não são todas as operadoras de telefonia móvel que funcionam nos Lençóis Maranhenses e, especificamente falando de Santo Amaro, algumas não possuem sinal nem ao menos para ligação. A notícia boa é que as pousadas de lá contam com rede de wi-fi.

7- Cartões de crédito e débito funcionam nos Lençóis Maranhenses?

Por conta de problemas com a conexão, em povoados mais isolados, não são todos os restaurantes que aceitam cartões como pagamento.

Antes do passeio, cheque com o guia quais são as formas de pagamento para o almoço, quais serão os outros gastos e considere levar uma reserva em dinheiro.

Em Barreirinhas existem agências bancárias do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica e Banco do Nordeste. Já Santo Amaro conta apenas com a agência do Bradesco.

Dica bônus: água

A dica de ouro para quem faz passeios em pontos onde o comércio pode ser escasso é levar muita água e alguns aperitivos saudáveis. Algumas barrinhas e castanhas podem ajudar a controlar a fome.

Já a dica para água é levar uma garrafinha gelada e outra (mais uma ou duas) congelada. Com isso, tome primeiro a água gelada para não esquentar e, quando esta acabar, as demais já terão descongelado e estarão em uma temperatura boa para o consumo também.

Adicionar a favoritos link permanente.

5 Comments

  1. Genteeee, que tudo esse lugar! Acabei de ler um post sobre Jeri e agora dou de cara com o seu! Fiquei na duvida pra onde ir hahahahha encantada com todos os detalhes desse paraíso!! Já querooo voar pra Lençóis!

  2. Tem tempo que venho querendo conhecer os Lençóis, essa dica de calçado foi ótima, achei q a areia esquentava, bom saber que rola ir descalço

  3. Liany A Garves

    Muito bom seu Guia dos Lençóis Maranhenses!! Adorei as dicas sobre a mochila e a dica da água. Confesso que também tinha a dúvida se era melhor levar tênis porque sempre me preocupei da areia estar muito quente! Super obrigada pela dica! Espero poder visitar os Lencóis Maranhenses em breve!

  4. Adorei esse guia, bem completo mesmo! Ainda bem que não precisa de tênis, tenho agonia com areia dentro de sapato, mas também achava que só chinela poderia ser ruim.. ahaha, obrigada!!

  5. Suit note an respectedtender recompense you. http://rolcontmuse.tk/ykus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *