São Romão e Prata: Cachoeiras do Parque Nacional da Chapada das Mesas

Publicado em 23 de setembro de 2019

Maiara Barbosa

A força da natureza ensurdece os ouvidos, cega os olhos e estremece as pernas. Chegar tão próximo da queda
d´água é entender que há lugares intocáveis, onde a natureza toma conta do tempo e do espaço. O simples ato de apenas contemplá-la torna-se grandioso quando se entende a força da Cachoeira de São Romão, em Estreito, na Chapada das Mesas, que fica no sul do Maranhão.

De trás da queda da cachoeira, o céu azul é encoberto pelo tom barrento da água. O canto dos pássaros não chega até lá. Por mais que se caminhe por rochas seguras, a adrenalina corre pelo corpo e todo ser humano se sente pequeno diante da imensidão da queda d´água.

A Cachoeira de São Romão integra o Parque Nacional da Chapada das Mesas (PNCM). O território de 116 mil hectares abriga outras 14 cachoeiras, 22 rios e mais de 400 nascentes. Os números, porém, não são suficientes para contar a beleza das araras que cruzam o céu, dos animais silvestres, como os veados, que atravessam a estrada, das árvores e flores nativas do Cerrado, dos contornos que a imaginação é capaz de dar para as formações rochosas que se avistam no caminho e muito menos pela simpatia das crianças que abrem as porteiras na estrada em troca de umas moedas.

São 86 km do Centro de Carolina até a Cachoeira de São Romão, sendo que 54 km deles percorridos em estrada de terra. A cachoeira está em uma propriedade particular e a taxa de visitação é de R$ 20. Da entrada até o poço o caminho é feito por uma trilha leve, que dua cerca de 5 minutos.

BOOKING.COM: RESERVE SUA HOSPEDAGEM AQUI!

Saiba mais:

Para chegar atrás da queda a trilha continua pelo lado direito da cachoeira. Não é aconselhada a visita em épocas de chuva, pois o volume de água aumenta ainda mais. Para relaxar o poço da cachoeira é bom para banho, sendo arenoso no fundo. No centro, a profundidade aumenta, assim como a correnteza.

A aventura ainda continua com passeio de caíque, que custa R$ 15. Remando é possível chegar bem próximo da queda, sentir as águas agitadas e novamente a chuva que cai da Cachoeira de São Romão. O destaque do almoço são as opções de peixe e galinha caipira. A meia porção custa, em média, R$ 60 mas serve duas pessoas. Apesar da opção do pagamento com cartão, é aconselhável levar dinheiro pois o sinal pode oscilar.

A dobradinha no passeio se completa com a Cachoeira da Prata. A taxa de visitação por lá também é de R$ 20. Devido à força d´água e a presença de rochas, o banho não é aconselhado.

Ainda assim o corpo e a mente se enchem de uma nova energia ao ouvir de perto o som da natureza.

O caminho até a última queda passa por uma trilha de 250 metros de nível fácil, com direito a uma ponte de madeira suspensa sobre as águas da Cachoeira da Prata.

Para se programar:

No Parque Nacional da Chapada das Mesas é preciso transporte em veículo 4×4 e, apesar de não ser obrigatória, a presença de guias aumenta a segurança, já que as estradas são cheias de bifurcações e não há muita sinalização.

Os guias da agência Torre da Lua, além do conhecimento do território em si, lhe explicam sobre as formações rochosas, exemplificam os diferentes tipos de vegetação e transmitem informações sobre a história do PNCM e também sobre a preservação do cerrado.

Poder contar com a presença de uma pessoa experiente também na trilha até a queda da Cachoeira de São Romão faz toda a diferença. A agência Torre da Lua trabalha com o turismo sustentável, de base comunitária e preza pela conservação da natureza. Por conta disso, todos os passeios oferecidos acontecem em grupos pequenos.

Além disso, a rapidez e a dedicação no atendimento online são outros atrativos da agência que facilita a escolha dos destinos e as reservas.

Geralmente o passeio sai por volta das 8h e a primeira parada acontece na Cachoeira da Prata. Em seguida, na Cachoeira de São Romão é servido o almoço e o final da tarde é livre para aproveitar a cachoeira, os caiaques e o redário.

A cidade com maior infraestrutura da Chapada das Mesas para se hospedar é Carolina. Na cidade, a mais tradicional opção de hospedagem é a Pousada dos Candeeiros. Construída em um casarão do século XIX, que foi ampliado, são 42 quartos todos equipamentos com chuveiro elétrico, frigobar, ar-condicionado, televisão e várias redes de wi-fi.

A decoração temática, as flores pelas varandas e os móveis antigos é um atrativo à parte para trazer mais aconchego. Objetos da família estão exposto na pousada e relembra o ambiente de “casa de vó”.

Se não bastasse toda a riqueza cultural, o café da manhã é uma visita pelos sabores regionais do sul do Maranhão. O serviço de limpeza de quarto é realizado, de maneira impecável, diariamente e os hóspedes ainda contam com uma piscina para relaxar e cadeiras na calçada para sentar e conversar, bem à maneira do povo de Carolina.

*A viagem para a Chapada das Mesas teve apoio da agência Torre da Lua Ecoturismo da Pousada dos Candeeiros. Apesar disso, as informações aqui descritas são livres de qualquer contraprestação.

Salve essas dicas no Pinterest e aproveite melhor a sua viagem pelo Brasil!

 

booking.com faz cotação em diversas empresas/acomodações, garantindo os melhores preços e opções pra você. Reservando através deste link, você não paga nada a mais por isso e o Meu Destino é Logo Ali recebe uma contribuição. Com isso, você ajuda a manter o blog sempre atualizado e com novos conteúdos!

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Um Comentário

  1. Lugar top. É possível levar lanche durante a caminhada até o local ? Ou só pode comer nos restaurantes ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *