Minha declaração de amor ao Rio de Janeiro e 3 lugares para você se apaixonar também

Publicado em 7 de maio de 2018

Seria impossível falar do Rio de Janeiro sem escrever em primeira pessoa…

Ainda não conheci uma cidade com tanta beleza natural quanto o Rio. Minas Gerais, suas cidades históricas e povo hospitaleiro vivem em meu coração. Mas a impressão de cenário de novela, nunca fizeram com que eu tivesse vontade de morar em Ouro Preto ou Tiradentes, por exemplo, para me render aos quitutes mineiros. Amo Minas, mas me descobri apaixonada pelo Rio de Janeiro!

Saiba mais:

BOOKING.COM: RESERVE SUA HOSPEDAGEM AQUI!

Rio tem vida: é gente indo e vindo na Lagoa, de bicicleta e de patins, é grupo de trilheiros escalando as montanhas que contornam a cidade, é gente se multiplicando nas praias e colorindo o azul do mar e o branco das areias em busca de um momento de descanso, de bronze ou de descontração com os amigos. O Rio é a mulher de biquíni e cadeira de praia no metrô, é o samba, é historia… o Rio é a felicidade!

A soma do contraste da agitação da cidade, com a história, a efervescência cultural, aliado às belezas naturais, só poderia resultar numa paixão pela cidade e a vontade de pertencer à aquele lugar.

Lagoa Rodrigo de Freitas

Da TV, o tamanho da Lagoa Rodrigo de Freitas já me impressionava. Estar lá e ver que é tarefa quase impossível percorrê-la rapidamente (a não ser que você seja atleta), me fez querer desacelerar para aproveitar ainda mais o lugar.

Ao longo de toda sua extensão, ela é contornada por quiosques e não é difícil avistar ciclistas, corredores, gente caminhando e movimentando os pedalinhos. É de lá que saem os passeios de helicópteros para quem busca outros ângulos para conhecer a Cidade Maravilhosa.

Foi lá que eu tive pela terceira vez (depois parei de contar) o pensamento de querer morar no Rio. Enquanto este sonho de infância ainda não é realizado, me contentei ao me misturar com quem percorria a orla e almoçar em um quiosque de frente para a Lagoa.

Dizem que as refeições por lá são caras. Tive a sorte de estar próximo do quiosque Brasiliano Grill, onde as refeições custam a partir de R$ 29,90.

Enquanto almoçava, o pensamento de querer fazer parte daquilo tudo foi sendo tomado pelo sentimento de “mulheres ricas”, já que estava almoçando em um dos cartões postais do Rio, assim como acontecia com as personagens das novelas de Manoel Carlos.

Mirante Dona Marta

Este foi um dos lugares que fez meu coração ficar pequeno dentro do peito: não acreditava em tamanha beleza que vinha de frente aos meus olhos. Final da tarde de outono e o laranja rasgava o céu, acima do Pão de Açúcar.

Lá do alto, todos os problemas, e até mesmo a preocupação com a violência, se tornaram insignificantes e reduzidos a nada. Quando a natureza mostra sua majestade, o espírito se eleva e a sensação de plenitude toma conta da gente.

Gravei aquela imagem na memória e enchi o peito de ar, numa tentativa de absorver e levar um pouco mais daquela atmosfera leve para dentro de mim. Fotos e mais fotos vieram para registrar o momento, caso algum detalhe passasse despercebido. Mas não há imagem perfeita, nem fotos 360º, GoPro ou drone, que capturem o que é observar o sol indo repousar atrás do Corcovado, bem ali diante dos nossos olhos com os braços abertos para a cidade. E foi assim, que ali me senti abraçada pelo Cristo e pelo Rio de Janeiro.

Pedra do Pontal

Mais grave do que ir ao Arpoador e não ver o mar é pisar no Rio de Janeiro e não ir à praia. Esta foi a minha última “tarefa” a ser cumprida. Depois de mergulhos pela história e na cultura carioca, era hora de nadar em outros mares.

Meus pés pisaram na areia da praia, primeiramente, na Praia do Pontal. Areia fofa e branca – diferente das praias paulistas. O mar apresentava vários tons de azul e a água era cristalina. Ver aquilo tudo do alto, então, seria mais fantástico ainda.

Mesmo de chinelos e biquíni, a “trilheira raiz” deu lugar à “trilheira nutella” e encarou a escalada descalça e com roupas inapropriadas. Para piorar, os óculos de sol tinham quebrado no dia anterior. O chapéu que eu usava para me proteger dos raios solares, que chegam a nossa pele com uma proporção muito maior do que eu já tinha visto, insistia em não parar na cabeça por causa do vento. Detalhes à parte, é só vencendo a trilha de vegetação rasteira em meio às rochas, que se vê a imensidão do mar, tão próximo de nós.

Lá de cima o mar era ainda mais calmo e algumas flores davam uma delicadeza para o cenário. Os banhistas se tornaram formiguinhas e, a quantidade de guarda-sol amontoados na areia da praia, parecia um quadro de pontilhismo.

Mas o mergulho no mar, de fato, aconteceu mesmo na Praia da Barra. Com ondas mais fortes, a praia é daqueles tipos que você não enxerga exatamente onde o mar abraça a areia da praia, já que isso acontece num declive, que não é possível de ver visto quando se está sentado na areia. Depois de alguns minutos obervando como as ondas quebravam com tanta violência, logo na beira da praia, tomei coragem.

Apesar do relógio marcar quase cinco da tarde, a água ainda estava morna – reflexo das altas temperaturas registradas naquele dia. Com medo das altas ondas, foram apenas dois ou três mergulhos. Suficientes, porém, para que eu me sentisse relaxada, agradecida e mais leve.

Ao voltar para a areia, enquanto a água escorria pelo meu corpo, parecia que, junto com ela, iam embora todos os meus problemas e o estresse.

Em plena Semana Santa, pecado seria não permanecer ali e ver o sol brincar de se esconder aos poucos. Antes que a lua cheia tomasse conta do céu e fingisse que tocava as águas, ela começou a iluminar o fim de tarde pelo lado esquerdo do céu. Às vezes, ela desaparecia por trás de algumas nuvens, mas retornava para mostrar toda sua imponência e clarear ainda mais o mar abençoado do Rio de Janeiro.

 

booking.com faz cotação em diversas empresas/acomodações, garantindo os melhores preços e opções pra você. Reservando através deste link, você não paga nada a mais por isso e o Meu Destino é Logo Ali recebe uma contribuição. Com isso, você ajuda a manter o blog sempre atualizado e com novos conteúdos!

 

Adicionar a favoritos link permanente.

11 Comments

  1. Você conseguiu mostrar um Rio de Janeiro mais leve , acendendo uma vontade de conhecer que havia se apagado.

  2. Carla Macedo

    Rio é lindo de qualquer jeito,ôhhh saudade! Não tive oportunidade de conhecer o Mirante Dona Marta, que local fantástico!!!!! Amei as fotos, post super massa. Já favoritei o post para quando eu regressar ao Rio, porque quero um sunset igual ao seu, rs

  3. Eu amo o Rio de Janeiro também!! É uma das minha cidades favoritas no Brasil ❤️Ainda não fiz a trilha do Pontal, mas acho lindíssima! Uma das vistas mais lindas do Rio!!

  4. Suzy Freitas

    Nossa, você escolheu lugares do Rio que são realmente maravilhosos para retratar no seu post! Concordo com você: o Rio é uma das cidades mais lindas que meus olhos já viram e nos dá uma sensação de intimidade tão grande que a vontade é de escrever sempre em primeira pessoa, como se o Rio fosse nosso amor eterno! Linda homenagem a cidade!

  5. Seu texto ficou uma verdadeira declaração de amor! O Rio realmente é apaixonante e um dos lugares mais bonitos do mundo. No dia que conseguirem controlar alguns probleminhas da cidade (principalmente a violência), vai virar quase unanimidade.

  6. Se tem uma cidade que amo e não sei viver sem é o Rio de Janeiro! Essa cidade é a cara do Brasil. O sol, a praia, os pontos turísticos e os turistas/moradores fazem dessa cidade um belo lugar para se passear e viver. Só fico triste pela violência que tem tirado o brilho e afastado os turistas do Rio.

  7. Liany A Garves

    Que linda a sua crônica! Sério, me apaixonei! Você escreveu com amor realmente. Até me deu vontade de ir novamente ao Rio, um lugar que por alguns motivos não tenho tanto amor assim, mas ler o seu relato me fez enxergar a cidade com outros olhos. Parabéns mesmo!

  8. Silvia Carvalho

    O Rio de Janeiro é realmente uma cidade linda e inesquecível! Pena que nos últimos tempos ela esteja sendo tão maltratada. Muito bom ler o seu post e conseguir ver toda a beleza que a cidade maravilhosa pode oferecer!

  9. Anna Claudia Rodrigues Santos

    Acredita que eu ainda não conheço o Mirante Dona Marta? Eu gosto tanto do Rio que sempre que vou quero fazer mil e uma coisas e acabo não tendo tempo pra tudo. Mas da próxima vez vou me organizar e conhecer! seu post me inspirou!

  10. Você tem toda a razão quando diz que o Rio tem vida. Apesar de todos os problema essa cidade consegue despertar paixões inexplicáveis . Alguns dos lugares que vc mostrou eu ainda não fui visitar mas quero corrigir isso em breve.

  11. Você escolheu 3 lugares belíssimos do Rio, parabéns! A Lagoa Rodrigo de Freitas é mágica, com muitas possibilidades de atividades, como andar de bike! O mirante do Dona Marta é um ponto imperdível da cidade! E o Pontal, magnifico! Pena que não desbravou outras praias como a Prainha e Grumari. Vai amar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *