Visitar o Titanic Museum é mais do que uma simples visita a um museu. É sentir a experiência do trabalho na maquinaria do navio e também as buscas feitas pelos mergulhadores durante a retirada de objetos em meio aos escombros após o trágico naufrágio na viagem inaugural do Titanic, em 1912.

O museu é dividido em três setores e no primeiro deles é retratada a prosperidade que Belfast, capital da Irlanda do Norte e cidade de onde partiu o navio, vivia na época da construção do Titanic.

O crescimento da população urbana e a rotina de trabalho nas fábricas são apresentados em paineis interativos.

Caminhando pelo museu é fácil perceber como os avanços na comunicação e o desejo desbravador pelos mares começavam a tornar o mundo pequeno.

Apesar disso, a rotina de quem trabalhou na construção do navio não era a das mais fáceis: os trabalhadores do estaleiro tinham apenas uma semana de folga no verão e duas folgas por ano, no Natal e na Páscoa.

Através da montanha russa, o calor do aço e os barulhos constantes dos rebites ajudam a traduzir o quão cansativa deveria ser a rotina dos trabalhadores. Nesse ponto do museu estão expostos os cadernos originais de controle de pagamento dos funcionários.

Já no próximo andar, a entrada fica mais pesada diante da placa que lembra às 12h13 do dia 31 de maio de 1911, data quando o Titanic foi lançado na água. Entre os artefatos guardados está um ingresso oficial.

Saiba mais:

O passeio pelo museu continua nos corredores que simulam o interior do navio e recriaram os ambientes, como os quartos e também as louças levadas à bordo. Através da tecnologia 3D, um chefe de cozinha conta detalhes do menu que era servido.

Com a queda das luzes e da temperatura, a sala seguinte lembra o naufrágio do dia 14 de abril de 1912. Os relatos dos sobreviventes foram preservados e também é possível conferir como a mídia repercutiu nos principais jornais do mundo a tragédia.

Os visitantes podem ainda conferir se possuem alguma relação de parentesco com os passageiros do Titanic através de um banco de dados e, em seguida, são apresentadas algumas informações sobre as investigações e os mitos e verdades em torno do acidente.

Apesar de toda a dor e tristeza, o episódio serviu de inspiração para o cinema e teatro e isso não ficou de fora do acervo do museu.

Para concluir a ordem cronológica do passeio, fica para o final a visualização dos trabalhos de buscas no fundo do mar. Em cima de um chão de vidro é possível ver como o Titanic aparece naufragado.

 

1 Comment

  • CINTIA VAZ
    Posted 29/07/2019

    Deve ser muito louco esse museu! Tenho certeza que o dia que eu for para a irlanda do Norte ele vai estar no meu roteiro!

Deixe um comentário

Newsletter

Deixe aqui seu e-mail para receber as novidades!

Meu Destino é Logo Ali  2020. Todos os direitos reservados.