Nordeste além das praias: Confira 23 opções de passeios para você aproveitar

Publicado em 25 de novembro de 2019

Maiara Barbosa

Com a chegada das férias de final de ano, o destino de muitos brasileiros (e até de quem vem de fora) são as praias do litoral do Nordeste do Brasil. Nos últimos meses, porém, a notícia do desastre ambiental das manchas de óleo encontradas nas praias estão fazendo com que muitos turistas repensem suas férias.

Aqui no blog sempre defendo a prática saudável do ecoturismo, de vivências culturais e históricas de um destino. Um roteiro montado apenas por pontos turísticos para fotos “instagramáveis” não te apresenta a cidade como realmente ela é. Por isso, neste post, quero te mostrar que o Nordeste Brasileiro oferece infinitas possibilidades de experiências que vão além do “pé na areia” e das águas quentinhas do mar.

Este conteúdo foi feito em conjunto com um grupo de blogueiras preocupadas com as consequências que esse desastre pode trazer para a população nordestina que depende do turismo para sobreviver – desde o vendedor de caipirinha da praia, até a camareira do hotel.

Assim como os demais viajantes, nós também sentimos com a notícia que as praias (os maiores atrativos da região) estejam impróprias para banho. Afinal, quem não gostaria de se refrescar no mar?

A também jornalista Luisa Ferreira, do blog Janelas Abertas, escreveu um artigo que pode te ajudar a decidir sobre o cancelamento da sua viagem ou não

Segundo a Agência Brasil, quem comprou pacotes de viagem ou hospedagem para as praias do Nordeste, que foram afetadas pela mancha de óleo, têm o direito de cancelar ou remarcar a reserva, sem a necessidade de pagar multa.

Mas não se esqueça: esse desastre, porém, pode ser uma oportunidade para você ampliar sua visão de turismo. Por isso, cientes do nosso papel de informar e de divulgar o turismo, queremos mostrar outras maneiras de aproveitar a viagem. Aqui você irá encontrar opções de passeio para realmente conhecer e vivenciar o nordeste do Maranhão até o sul da Bahia.

Se preferir, confira as sugestões navegando por estado:

Bahia

– Arraial d´Ajuda

Os cenários paradisíacos do sul da Bahia se confundem com a nossa história. Além dos passeios históricos pelas cidades da Costa do Descobrimento, Arraial d´Ajuda, vilarejo de Porto Seguro, reúne aventura e charme.

Entre casinhas coloridas e restaurantes que ficam iluminados à noite e têm música ao vivo, as agências de turismo do Centro de Arraial d´Ajuda oferecem passeios de quadriciclo.

Carol Martinez, do blog Preciso de Férias, experimentou a aventura e relatou como funciona o passeio. Em seu post, ela detalha que são três tipos de passeios, que variam entre si pelos pontos visitados e duração. Outra opção de lazer em Arraial d´Ajuda é Arraial d´Ajuda Eco Parque.

– Trancoso

Próximo de Arraial fica a famosa praia de Trancoso. Mais do que badalação e luxo, Trancoso também é o destino para quem gosta de esportes e quer conhecer a capoeira. Camila Siqueira, do blog Pelo Mundo com VC conta que é possível praticar eco bike, mountain bike, kitesurf, stand up peadle e até voo livre em Trancoso.

Outra boa pedida por lá é uma visita na Aldeia de Iporanga para conhecer o artesanato feito pelos índios pataxós. Uma visita, com calma, no Quadrado de Trancoso, pode revelar muito sobre a história do Brasil também.

Trancoso também é o endereço do Teatro L’Occitane, com arquitetura arrojada. O espaço conta com dois palcos, um coberto e outro fechado e, em março, recebe o Festival de Música de Trancoso, que atrai artistas do mundo todo.

– Morro de São Paulo

Foto: Festino e Afins/divulgação

As belezas da Ilha de Morro de São Paulo são se resumem somente às praias. Entre conversas com moradores e agências de turismo, o blog Destinos e Afins preparou uma lista de opções de passeios para se fazer na região.

Na programação está inclusa uma visita ao Farol do Morro, banho de argila, passeio de bike, além de uma visita a Fortaleza de Tapirandú e a Cachoeira Fonte do Céu. Além disso, a vida noturna por lá é agitada e ha opções de teatros, com rica gastronomia e artesanato.

– Chapada Diamantina

Foto: Mãe que Viaja/divulgação

No interior da Bahia é onde se revelam as belezas da Chapada Diamantina. O cenário, de natureza intocada, entre muitas trilhas, levam os visitantes para cachoeiras e mirantes. Entre os destinos mais procurados estão a Cachoeira da Fumaça e o Vale do Pati. 

Porém, a Fernanda Miranda, do blog Mãe que Viaja, reuniu algumas dicas para visitar a Chapada Diamantina além do tradicional. Os passeios incluem opções até mesmo para quem não gosta muito de longas trilhas, como, por exemplo uma visita aos sítios arqueológicos, almoço nas casas de moradores locais e massagens.

Sergipe

– Aracaju

Foto: Mariana Viaja/divulgação

O Centro Histórico de Aracaju foi revitalizado e deu nova vida para a capital sergipana. Entre museus, centros culturais, monumentos, mercados municipais e igrejas, as cores da vida nordestina ganham espaço.

Mariana Bueno, jornalista do blog Mariana Viaja, dedicou um tempo de sua viagem para conhecer a cultura de Aracaju e reuniu todas as dicas no seu blog. A dica dela é aproveitar a cidade a pé, usando o transporte público.

Alagoas

– Piranhas

Foto: Partiu Pelo Mundo/divulgação

O grande atrativo da cidade são os cânions do Rio São Francisco. Com 65 km de extensão e 150 metros de profundidade em alguns trechos, os cânions do Rio São Francisco são considerados um dos maiores do mundo para navegar.

A formação das rochas parece que o local foi talhado à mão. Algumas formações, inclusive, ganharam até nomes, como a Ponta do Papagaio, a Pedra do Japonês e o Morro dos Macacos. O centro histórico de Piranhas é o único do semiárido nordestino tomabado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

– Serra da Barriga

Foto: Visite Alagoas/divulgação

A Serra da Barriga fica em União dos Palmares, próximo da capital Maceió, e faz parte de uma área de terrenos cristalinos. Neste lugar, milhares de negros escravizados fugiram durante o período de dominação portuguesa e holandesa. Estima-se que, entre os anos de 1597 a 1695, lá viveram mais de 20 mil pessoas.

O parque conta com o Memorial Quilombo dos Palmares, que reconstitui o cenário do maior quilombo de escravos que o Brasil já teve. Apesar de recontar parte da nossa história, pesquisas revelam que a maioria dos turistas que visitam o local são de outros países.

– Maceió

Foto: O queijo vai na mala/divulgação

Sem molhar os pés na praia, o casal Vanessa e Leonardo, autores do blog O queijo vai na mala, prepararam um roteiro diferente por Maceió. A feirinha de Pajuçara e o Pavilhão do Artesanato são opções de lugares para se conhecer um pouco mais da cultura do local e comprar lembranças da viagem.

Já o bairro das Rendeiras é famoso por concentrar lojas de rendas e bordados. Entre os Museus, o Museu Théo Brandão e Museu Palácio Floriano Peixoto também foram incluídos na lista.

O Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore é considerado uma das principais instituições culturais do Estado de Alagoas. Ele homenageia o médico e escritor Theotônio Vilela Brandão. O espaço abriga a coleção de arte popular de Théo Brandão, que também se dedicava ao folclore e antropologia.

Pernambuco

– Recife

Foto: Além da Curva/divulgação

Impossível não visitar Recife sem falar dos tradicionais bonecões. Juliana Saueia, do blog Além da Curva, visitou a Casa dos Bonecos Gigantes e encontrou personagens da TV, figuras políticas,  jogadores de futebol e muito mais.

Outro espaço agradável da capital de Pernambuco é o espaço da Caixa Cultural de Recife que sempre recebe exposições temporárias. O Museu Cais do Sertão retrata a história e toda tradição do povo sertanejo brasileiro. Já o Paço do Frevo reúne as manifestações artísticas e culturais da cidade e fica próximo a Casa dos Bonecos Gigantes.

Um dos grandes atrativos em Recife para quem gosta de museus é o Instituto Ricardo Brennand. O museu reúne inúmeros objetivos do engenheiro que dá nome ao lugar, principalmente armamentos. O estilo medieval das construções são um show a parte. Já o Parque de Esculturas de Francisco Brennand homenageia os 500 anos do Brasil e reserva uma vista especial para o pôr do sol.

– Olinda

Foto: Além da Curva/divulgação

A dica para conhecer Olinda é colocar as pernas para trabalhar e caminhar muito pela cidade. Com a presença de um guia é possível visitar o Alto da Sé, também conhecida como Igreja de São Salvador do Mundo. Do mirante é possível observar a capital Recife.

Entre os túmulos de membros da igreja, os azulejos portugueses chamam a atenção. O tour ainda passa pelo Convento de São Francisco, a Basílica e Mosteiro de São Bento, a Praça do Carmo, o Palácio dos Governadores, a Casa de Alceu Valença, o Mercado da Ribeira, até a subida da famosa famosa Ladeira da Misericórdia.

Em Olinda também existe a Casa dos Bonecos Gigantes e Mirins de Olinda e a visita custa R$ 10. Outra dica repassada pela Juliana Saueia é terminar o dia no Mirante Caixa D’água para ver a cidade  (ainda mais) do alto.

Paraíba

– Cabaceiras

Foto: Além da Curva/divulgação

O estado da Paraíba é um dos menos visitados do Nordeste, mas nem por isso possui menos locais interessantes para visitar. A Juliana Saueia, do blog Além da Curva, traz algumas dicas do que fazer por lá.

O cariri paraibano, por exemplo, um local onde as temperaturas desafiam o termômetro e é lar de Cabaceiras, uma cidade muito pacata, que recebeu a maior seca do Nordeste, mas que leva o título de ser a “Roliúde Nordestina”. A fama é tanta que um letreiro foi instalado na entrada da cidade, que também ganhou um museu cinematográfico.

Vários filmes brasileiros foram gravados por lá, sendo o mais icônico de todos O Auto da Compadecida. Através de um tour é possível visitar esses cenários e relembrar das frases como “Num sei, só sei que foi assim”.

– Lajeado de Pai Mateus

Foto: Além da Curva/divulgação

Um pouco mais adiante, fica o Lajedo de Pai Mateus, um local “descoberto” há pouco tempo pelos turistas mais convencionais, mas segue repleto de energia e misticismo com pedras que não deveriam estar de pé, mas estão.

O pôr do sol de lá também costuma causar grandes emoções.

– Areia

Foto: Além da Curva/divulgação

Um pouco antes da região do Cariri, está o Brejo, onde faz frio de verdade. Subindo a Serra da Borborema, você encontra a cidade de Areia com construções históricas e coloridas. É ali que está o primeiro teatro da Paraíba, bem simples, mas que tem sua importância e a casa do artista Pedro Américo, que pintou o quadro que todos vimos na escola, O Grito do Ipiranga.

Rio Grande do Norte

– Pipa

Foto: Passaporte Sustentável/divulgação

No Rio Grande do Norte, a Praia de Pipa é uma das mais famosas do estado. Porém, o destino também conta com atividades de esporte e natureza. É possível fazer roteiros pedalando pelas dunas e falésias, na beira do rio ou até um vilarejo de uma antiga comunidade quilombola.

Outro passeio ainda pouco explorado é até a Pedra da Boca, que fica na divisa com a Paraíba. A Pedra da Boca é uma formação rochosa de aproximadamente 336 metros de altura, com uma cavidade provocada pela erosão, que lembra uma boca aberta gigante.

Fazendo trekking de três dias, é possível encontrar aldeias indígenas pelo caminho, estuários ecológicos e áreas de proteção ambiental. O percurso também cruza o estado da Paraíba. Rayane Azevedo, do blog Passaporte Sustentável, reuniu todas as dicas dos roteiros.

– Lagoa da Coca-Cola

Foto: Eduardo Vessoni/divulgação

Almoçar no mangue, caminhar entre bancos de areia rodeados por piscinas naturais, ficar em uma típica casa sertaneja e até nadar em uma lagoa com águas de tons que lembram Coca Cola é possível na cidade de Baía Formosa. Este cenário “curioso” está 100 km distante de Natal.

O local recebe esse nome em referência à marca de refrigerante, já que a coloração da água é escura. O fenômeno acontece pela presença de iodo e ferro nas águas, além da pigmentação das raízes das árvores. Há quem acredite que as águas tem o poder de rejuvenescer. 

Ceará

– Fortaleza

Foto: Além da Curva/divulgação

Na capital do Ceará existem inúmeras opções de passeios históricos e culturais gratuitos. No Centro Histórico é possível conhecer uma antiga casa de detenção que se transformou em um centro de compras, o Mercado Municipal que tem mais de 500 lojas em três andares e a Catedral Metropolitana, por exemplo.

Juliana Saueia contou no seu blog Além da Curva que o tour por Fortaleza te leva ainda ao Teatro José de Alencar e passa por uma feirinha a beira mar. Com tempo, também vale a visita ao Centro Cultural Dragão do Mar, ao Centro Cultural Belchior, a Praça do Ferreira e ao Ceará Show.

Piauí

– Serra da Capivara

Foto: Duda Menegassi/divulgação

O Parque Nacional da Serra da Capivara é Patrimônio Mundial da Unesco e permite uma viagem de volta às origens da civilização na América. Entre cânions e serras, a arte rupestre domina o lugar.

Há pinturas entre 6 e 12 mil anos. O parque é considerado um dos com melhores estrutura do país e a presença de guias é obrigatória. Para visitar o local, a base fica na cidade de São Raimundo Nonato.

– Parque Sete Quedas

Foto: Revista Qual Viagem/divulgação

A formação de arenito esculpida pela ação do vento, da chuva e do calor deu nome ao parque, que fica nos municípios de Piracuruca e Brasileira, no norte do estado. As rochas possuem mais de 190 milhões de anos. O parque possui pinturas rupestres com cerca de 6 mil anos, conhecidas internacionalmente.

A distância até a capital, Teresinha, é de 206 km. O parque está na faixa de transição entre o cerrado e a caatinga e protege espécies da fauna e da flora encontradas nos dois ecossistemas. Não há cobrança de ingresso para entrar no parque, no entanto, é necessário contratar um guia que cobrará pelo serviço ao grupo de visitantes. Os detalhes você pode conferir na página do ICMBio, que administra o local.

– Teresinha

Foto: Turista Profissional/divulgação

Teresina é considerada uma das cidades do nordeste com melhor qualidade de vida e é banhada por dois rios: o Rio Parnaíba e Rio Poti. Por conta do calor, muitas árvores foram plantadas na cidade, o que fez com que Teresinha ganhasse o título de “Cidade Verde”. Esta “presença verde” fica ainda mais visível do mirante da cidade, na ponte Estaiada.

Além de rendas ribeirinhas e gastronomia típica, o artesanato da cidade feito em madeira, cerâmica e barro chamam a atenção do visitante. A cidade também abre as portas para o visitante conhecer o Palácio de Karnak, sede do governo estadual e o Museu do Piauí, que reúne aproximadamente 7 mil peças que contam a história do estado.

Outro ponto que vale a visita é o Encontro dos Rios, o Teatro 4 de Setembro, a Igreja São Benedito, o Polo Cerâmico do Poty Velho, o Espaço Cultural Esperança Garcia e o Central de Artesanato Mestre Dezinho. A feira Troca Troca é uma peculiaridade da cidade em que os moradores, como o próprio nome já diz, trocam vários objetos.

Maranhão

– Chapada das Mesas

Entre as Chapadas do território brasileiro, a Chapada das Mesas, que fica no sul do Maranhão é a menos conhecida. Ainda assim, as cachoeiras e formações geológicas não perdem em beleza para os outros destinos. A grande vantagem, aliás, da Chapada das Mesas é a acessibilidade: a maioria das trilhas e percursos até os atrativos não exigem grandes esforços físicos e, em algumas cachoeiras, o caminho é feito por pontes de madeira.

Todos os detalhes do roteiro de 6 dias, você pode conferir aqui mesmo.

– São Luis

Nem só de cachoeiras, dunas e lagoas se formam as belezas do Maranhão. O estado também abriga um importante patrimônio histórico, artístico e cultural. Em São Luis, os casarões coloniais são enfeitados com azulejos portugueses.

O ritmo do reggae é o que rege a cidade e, não raro, você encontra turistas e locais dançando pelas ruas da cidade. A presença do ritmo musical exerce tanta influência na cidade que, por se confundir com a história de fundação de São Luis, ganhou até um museu no Centro Histórico.

O Palácio dos Leões, sede do governo estadual, é outro espaço aberto para a visitação, assim como a Catedral Metropolitana de São Luis e o Museu de Arte Sacra.

– Alcântara

Alcântara está distante 1h de barco da capital São Luis. Uma visita por lá é um misto de história, com cultura e belezas naturais. O grande atrativo são as ruínas espalhadas pela cidade e as manifestações culturais, como a Festa do Divino e o Tambor de Crioula.

Outros dois passeios imperdíveis para quem visita a cidade é a Ilha do Livramento, refúgio que abriga uma única moradora: Dona Mocinha. Mulher sábia e espiritualista, ela já escreveu dois livros e possui projetos para transformar o local em um centro turístico.

Aos finais de tarde, navegando pelo mar, os olhos se voltam aos céus para observar o espetáculo da revoada dos guarás. Para conhecer todos os atrativos e encantos da cidade, o mínimo necessário, são dois dias inteiros por lá.

– Raposa

Ao visitar Raposa é impossível não se encantar com o trabalho manual feito pelas rendeiras de birlo e querer trazer uma peça para casa. A tradição é passada de geração em geração e, com sorte, ao andar pelo Corredor das Rendeiras, você encontrará as mulheres com mãos ágeis fazendo os trançados.

A rapidez das mãos, porém, esbarra no tempo necessário para a confecção das peças. Para os trabalhos maiores são necessários até três meses.

Bônus: Como saber a situação das praias?

Se mesmo depois de tantas dicas, você ainda não se convenceu se vale a pena viajar para o Nordeste, já que não deixa de pensar nas praias, a saída é ir acompanhando nos noticiários a situação de limpeza nas praias. O Viaje na Viagem, do Mestre Ricardo Freire, também está atualizando a situação do óleo nas praias diariamente.

 

Projeto #NordesteAlémdasPraias

Essa é uma postagem do Projeto #NordesteAlémdasPraias, criado por um grupo de blogueiros que entendem a sua responsabilidade com o fomento do turismo em nosso país e com a consciência de preservação ambiental dos seus leitores. Nosso objetivo é ressignificar as cidades do nordeste atingidas pelo óleo e mostrar tudo o que elas oferecem além do mar.

Se você está lendo esse post e tem alguma dica que acha que se encaixaria nesse objetivo, não deixe de incluir em nossos comentários!

Esses são os blogs participantes do projeto #NordesteAlémdasPraias:

– Preciso de Férias
– Destinos e Afins
– Pelo Mundo com VC
– Mariana Viaja
– Viagens de Ca pra Lá
– Passaporte Sustentável
– Janelas Abertas

 

Pesquisa Complementar:

– ICMBio
– Revista Qual Viagem
– Blog Além da Curva
– Blog Turista Profissional
– Blog O Queijo vai na Mala

Adicionar a favoritos link permanente.

Um Comentário

  1. Oi Maiara, fantástica sua ideia de mostrar as belezas naturais do Nordeste além das praias! Compartilhando já com os amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *