Skip to content

Dicas para economizar durante a viagem

Você planejou, juntou dinheiro para sua tão esperada viagem, mas, chegou no destino, não conseguiu controlar as finanças e voltou com o cartão de crédito estourado? Para que você não tenha uma surpresa chata ao voltar de viagem é preciso cuidar do dinheiro quando está fora de casa.

Afinal, a grande maioria dos viajantes se hospeda e busca restaurantes em locais turísticos, onde os preços praticados são mais caros que o convencional. Além disso, temos a famosa listinha de presentes, atividades, passeios, ingressos para museus, etc.

A boa notícia é que com planejamento (sim, mais uma vez essa palavrinha dando as caras por aqui) é possível curtir as férias e relaxar sem preocupação! Se liga:

1) Escolha da hospedagem

Antes da viagem, em si, você pode economizar de acordo com a hospedagem que escolher. Para começar, nesse tópico, vou dividir os viajantes em dois tipos: aqueles que topam de tudo para poder viajar mais e mais e aqueles que gostam de viajar para ter conforto e luxo. A primeira turma sai em vantagem nesse ponto, já que nos adaptamos melhor em alguns tipos de hospedagens mais econômicas, como campings, ou uma cama num quarto para 16 pessoas no hostel.

Mas, se você gosta do conforto, que tal experimentar uma hospedagem diferente? Se as situações que eu te apresentei acima ainda não muito radicais, experimente um quarto privativo em um hostel, ou então um dormitório com menos camas. Muitos hostels trabalham com quatro camas e, inclusive, há dormitórios exclusivos para mulheres. Caso viaje com mais uma amiga pense que dividirá o quarto com somente mais duas pessoas, ou pode ser ainda que nem todas as camas estejam ocupadas.

Pelo Brasil e o mundo a fora temos infinitas possibilidades de hostels aconchegantes, decorados e com café da manhã dignos de hostel 5 estrelas. Outra dica também é dividir a sua hospedagem: caso você irá viajar por dez dias, experimente cinco dias em um hostel ou em um camping e curta seus outros cinco dias no hotel que preferir.

BOOKING.COM: RESERVE SUA HOSPEDAGEM!

2) Como se locomover

Caso você não viaje de carro, é importante pensar nos custos com seus deslocamentos. Por isso é importante no seu planejamento é consultar as distâncias entre a hospedagem e os locais que deseja visitar e anote essas perguntas para checar sempre:

  • Consigo ir a pé? É seguro o percurso?
  • É muito longe? Quanto tempo a pé ou de carro/transporte público?
  • Consigo usar meios de transporte público?

Para encontrar essas respostas, cheque as informações no site da hospedagem que escolheu, pergunte via e-mail e recorra também ao bom e velho Google Maps. Além disso, simule o preço das corridas nos aplicativos de transporte para saber quanto irá gastar no trajeto rodoviária/aeroporto x hospedagem.

3) Alimentação

A vantagem de quem se hospeda em hostels e campings é o fato de contar com uma cozinha para preparar a sua própria alimentação. Claro que, em um dia inteiro de passeio não digo para que você leve sua marmita, ou volte mais cedo para preparar o almoço.

Pense que poderá fazer uma comida à noite, ao invés de ir jantar fora todos os dias. Escolha um dia para “jacar” e visitar aquele famoso restaurante.

Nos demais dias, reúna a galera, vá até o mercado, e prepare algo para comer com os viajantes. Aproveite para partilhar histórias e fazer novos amigos!

4) Água

Entendo que água faz parte da nossa alimentação, mas para esse assunto preciso separar um tópico separado para mais uma dica. A maioria das hospedagens, desde albergue, até o resort 20 estrelas que você escolher, contam com um serviço de venda de bebidas e, em alguns casos, alimentação também.

Sabe aquele frigobar inocente no quarto? Antes de abrir a garrafa e dar um gole, consulte a tabela de preços! Já vi garrafas de 250 ml de água por R$ 6.

A dica é fazer uma caminhada até o mercado e comprar garrafa de água de 1 litro. Leve para viagem uma garrafa de 500 ml para ir abastecendo ao longo dos dias com a água comprada no mercado. O preço praticado no mercado para as garrafas de água de 1 litro gira em torno de R$ 1 a R$ 2. Além da diferença de preço, você pagará menos por mais água.

5) Faça uma planilha de gastos

Ao longo do intercâmbio para a Irlanda, precisei rebolar E MUITO para encaixar os valores das refeições no orçamento. Quando cheguei em Dublin e me deparei com o preço das comidas nos restaurantes (já que cozinhar não ia rolar, haja vista minha falta de intimidade com a cozinha, que proporcionou até um princípio de incêndio nas primeiras horas no Velho Continente), precisei fazer uma conta básica:

cash ÷ quantidade de dias da viagem

E foi numa matemática básica que defini meu orçamento diário e montei uma planilha na última folha do caderno que usava na escola. Ali anotava tudo: desde o café na rua até o jantar. Caso ultrapassasse o valor que havia estipulado em um dia, no outro, pulava uma refeição, ou comia algo mais em conta. Esse método pode ser muito útil, principalmente, para viagens longas para quando precisamos fazer com que o dinheiro dure por mais tempo.

6) Cuidado com as lembrancinhas

Na minha pequena grande família temos uma linda tradição (que começou a tornar-se um pesadelo para mim) que é presentear a todos com sourvenirs de viagem. Quando o viajante da vez está retornando, todos (em média 15 pessoas) nos reunimos na casa da minha avó para um almoço, café da tarde, ou jantar, para compartilhar as histórias da viagem, mostrar as fotos e, claro: distribuir presentes.

Do Espírito Santo já trouxe duas panelas de barro e de Minas Gerais veio uma panela de ferro, queijos (nesse caso foi preciso comprar um isopor) e pó de café . Minha mala também já trouxe chocolate, castanhas, doces em seus mais variados formatos e muitas peças de roupas, brinquedos, pratos decorativos, pedras e artesanatos.

Para não me perder nos presentes, montei uma lista para saber para quem devo levar um presente. Assim fica mais fácil de lembrar dos gostos de cada um e acertar na escolha do presente. Ou ainda: não correr o risco de comprar duas vezes presente para a mesma pessoa.

7) Tente viajar com o máximo de despesas já pagas

Por questão de segurança financeira, já que a gente nunca sabe os gastos e imprevistos que virão, tente viajar com as suas passagens e hospedagem já quitadas, pelo menos. Se conseguir adiantar o pagamento dos passeios e guias, melhor ainda!

Caso contrário, já coloque essas despesas – que costumam ter um custo mais alto – no seu planejamento para não se perder.

Vamos tentar?

Espero que essas dicas não se tornem algo engessado, que você se sacrifique, deixe de se divertir ou curtir a viagem do jeito que gosta, apenas para economizar. A intenção é mostrar algumas oportunidades que possam abrir suas ideias e opiniões do que é possível fazer respeitando, claro, suas preferências!

IMPORTANTE: Antes de viajar, verifique as condições visitação no destino e siga sempre os protocolos de segurança e de higiene para o combate do coronavírus.

Deixe um

Comentário

Ninguém comentou ainda, seja o primeiro!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Salve no

Pinterest

Salve essas dicas no Pinterest e aproveite melhor a sua viagem pelo Brasil!
pins_mdela_pinterest

Escute no

Spotify

Outras

Viagens