3 verdades sobre fazer intercâmbio

Publicado em 4 de dezembro de 2018

Dublin é uma cidade muito procurada por intercambistas brasileiros @meudestinoelogoali

Maiara Barbosa

Poderia começar esse texto dizendo aquilo que você já deve ter ouvido falar sobre o intercâmbio: que é uma experiência única, que seu jeito de olhar o mundo muda, que vai te abrir novos horizontes, que você vai conhecer novas culturas e novas pessoas… Tudo isso é fato! Mas preciso contar que logo as minhas primeiras horas não foram tão boas assim.

Para matar a saudade do arroz-feijão, em alguns dias da semana, refeição era em restaurante brasileiro de Dublin @meudestinoelogoali

1 – Você vai passar fome!

Além de passar fome, te adianto que irá passar mal por algo barato ou vencido que comeu. Ou então, irá comer a comida barata e/ou vencida rezando para que não te faça mal.

Quem me conhece sabe que o fogão e a cozinha não são meus melhores amigos. Naquele final de tarde de domingo, não fazia nem 4h que estava em Dublin, mas a minha última refeição descente tinha sido há mais de 30h antes no café da manhã, na casa da minha avó no Brasil.

O que eu sobrou da comida servida no avião, guardei para as horas de visita em Madrid ao longo do dia de domingo durante a escala do voo. Cheguei em Dublin com um iogurte, uma barrinha de cereal e uma maçã no estômago.

Mercado próximo de casa, sessão de congelados à vista, preços atraentes, me senti confiante em comprar um pacote de escondidinho de carne seca e prepará-lo no micro-ondas. Só não contava que a potência do aparelho fosse tão alta, a ponto de preparar o alimento em ¼ do tempo recomendado na embalagem.

 

Os outros ¾ foram de muita fumaça e sons da sirene do sistema de incêndio!

Sobrevivi, envergonhada com o incidente, porém, com muita fome. O jeito foi dormir com pão e margarina (obrigada, Ibéria pela margarina).

Saiba mais:

2 – Você vai se perder!

Tudo bem que hoje temos a facilidade do Google Maps, mas, ainda assim, gastei muita sola de sapato acreditando que caminhava no sentido correto de volta para casa e, na verdade, estava 30 minutos de caminhada distante do meu destino.

Pedia informação na rua e saía mais perdida do que antes por não entender o sotaque irlandês. Mas não esqueço a primeira vez que parei para perguntar sobre um endereço e entendi! Felicidade dupla ao chegar no destino!

3 – Haverão dias que você vai querer surtar de tanto ouvir, falar e pensar em inglês!

Passada a tensão da primeira prova do idioma, ainda na imigração, senti um friozinho na barriga e pensei “Ai meu Deus, agora chegou a hora da verdade! Será que me garanto?”

Não são 24 horas por dia que você irá falar inglês. A probabilidade de você conhecer algum brasileiro, ainda mais em Dublin, é muito grande: você entra no mercado e a sensação é que você está de volta ao Brasil ao ouvir tanta gente falando português.

Poesias nas ruas de Dublin encorajam para que você saia da sua zona de conforto @meudestinoelogoali

Mas experimente ficar um dia inteiro tendo que se virar sozinha. Foi assim quando visitei Belfast. Nas primeiras horas dentro do ônibus da excursão estava entusiasmada ao entender as informações da guia, apesar da baixa qualidade do aparelho de som e estando no último banco.

Passou a primeira, veio a segunda e a terceira e foi um pouco desesperador (e cansativo) ouvir a pobre mulher falando sobre as estradas, castelos e ovelhas.

Chegando em Giant´s Causeway aproveitei que estava sozinha para ficar quietinha comigo mesma. Mas ai bate aquela vontade de pedir para alguém tirar uma foto diferente e… INGLÊS!

Hora de pedir a comida e… INGLÊS! Hora de dar informação e… INGLÊS! Hora de socializar com outros visitantes e… INGLÊS! Hora de comprar lembrancinhas para a família e… INGLÊS!

Na volta, cansada fisicamente e mentalmente, a guia continuava falando em… INGLÊS!

Lógico que as atividades fora da escola ajudam E MUITO no aprendizado do idioma. Ouso dizer até que, é na rua, nas situações do dia a dia, na convivência com nativos, que você irá, de fato, compreender o inglês. Porém essa imersão pode assustar um pouquinho nos primeiros dias! rs

Naquele dia, ao chegar em casa, a primeira coisa que fiz foi dar o play na sequência de axés dos anos 90 e sair cantando e dançando ao som do É o Tchan para relaxar.

BÔNUS: Quando acabar, você vai sentir saudades de tudo e toparia todos os perrengues outra vez!

A adaptação é aos poucos. Nas últimas semanas já sabia que o café mais barato, por exemplo, era vendido na barraquinha da igreja e sabia até onde encontrar bolo confeitado com pasta americana.

Pensar positivo ajuda muito quando as dificuldades aparecem. Hoje dou risada de todas as situações, até mesmo do episódio com o micro-ondas, e tenho a certeza que faria tudo de novo.

Apesar dos perrengues, intercâmbio trouxe grandes amigos e aprendizados @meudestinoelogoali

Adicionar a favoritos link permanente.

6 Comments

  1. Pingback:Cliffs of Moher e as mais belas paisagens naturais da Irlanda - Meu Destino é Logo Ali

  2. Pingback:Galway e os encantos do oeste da Irlanda - Meu Destino é Logo Ali

  3. Pingback:Church Cathedral: A Igreja mais antiga de Dublin - Meu Destino é Logo Ali

  4. Pingback:A tradição dos PUBs irlandeses e o Temple Bar - Meu Destino é Logo Ali

  5. Pingback:Trabalho voluntário: o dia em que fui contagiada pelo espírito solidário da Irlanda - Meu Destino é Logo Ali

  6. Wow that was odd. I just wrote an extremely long comment but after I clicked submit my comment didn’t show up. Grrrr… well I’m not writing all that over again. Anyways, just wanted to say excellent blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *