A influência que o café exerceu na economia e na sociedade paulista está refletida na imponência da fachada do Museu do Café, no Centro Histórico de Santos.

As pilastras e os detalhes do prédio que fica na esquina da Rua 15 de Novembro com a Rua do Comércio chamam a atenção de quem passa pelo local e tornou-se um ponto de visitação obrigatório.

O prédio que hoje abriga o Museu do Café antes era a sede da Bolsa do Café – um local construído exclusivamente para a comercialização do grão, tão valioso quanto ouro e prata entre os séculos XIX e XX. Hoje o museu preserva itens originais da época, como a sala do pregão, o cofre original da bolsa e resgata a história da bebida mais popular do Brasil.

BOOKING.COM: RESERVE SUA HOSPEDAGEM AQUI!

Como é a estrutura do Museu do Café?

O prédio tem dois andares, com exposições fixas e itinerantes, além de uma loja de produtos e também uma cafeteria. Logo na entrada, o primeiro espaço a ser visitado é o Salão do Pregão.

O espaço era o coração da Bolsa do Café, onde os corretores faziam as negociações. Os pregões aconteceram entre os anos de 1922 e 1950.

Saiba mais:

São 70 cadeiras e uma mesa especial em que ficava a presidência e os convidados. O interessante é que os poderosos da época, os barões do café, não podiam participar das negociações: como ali era permitido somente a presença dos corretores, cada cafeicultor precisava ter o seu corretor como representante na Bolsa do Café.

Ao fundo da Sala do Pregão, importantes momentos históricos da cidade de Santos estão retratados nas obras do artista Benedito Calixto e um imponente vitral também chama a atenção no espaço.

Na sala ao lado fica a primeira parte da exposição “Café, patrimônio cultural do Brasil: ciência, história e arte”. É nesta sala que está o antigo cofre da Bolsa do Café e também uma estufa de pés de café e objetos relacionados ao plantio do grão.

Subindo para o primeiro andar, a exposição continua com vídeos e a história do café. A arquitetura do prédio e as profissões envolvidas no mercado do café completam as outras salas da exposição.

Os carregadores de café, por exemplo, ganharam destaque entre os painéis das profissões. Há uma lenda que diz que um dos carregadores, chamado Jacinto, conseguiu empilhar até 5 sacas de café nas suas costas (com 60 kg cada uma).

Cafeteria do Museu do Café

Por ali são servidas, em média, 450 xícaras de café por dia! A Cafeteria do Museu é premiada pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) pela qualidade do café servido. Além disso, por sete anos consecutivos (2007-2013) recebeu o título de Melhor Cafeteria da Baixada Santista da revista Veja.

O espaço fica no térreo do Museu do Café e, além do tradicional expresso, também há opções de bebidas que levam chocolate e cafés gelados. O cardápio também inclui drinks, doces à base de café, sanduíches e salgados.

Além de consumir no local, há cafés das mais variadas regiões produtoras para levar para casa.

Como visitar Museu do Café: horários, ingressos e endereço

Horário de funcionamento: de quarta-feira a domingo, das 11h às 16h

Ingressos: R$ 10 (inteira)*, com meia-entrada para: estudantes, professores, idosos e funcionários da rede pública de SP

Endereço:  R. Quinze de Novembro, 95 – Centro, Santos – SP

Telefone: (13) 3213-1756.

* valores referentes à novembro de 2020

O booking.com faz cotação em diversas empresas/acomodações, garantindo os melhores preços e opções pra você. Reservando através deste link, você não paga nada a mais por isso e o Meu Destino é Logo Ali recebe uma contribuição. Com isso, você ajuda a manter o blog sempre atualizado e com novos conteúdos!

Deixe um comentário