3 lugares para curtir a Serra Gaúcha ao ar livre

Publicado em 20 de agosto de 2018

Maiara Barbosa

Quando o Sol aparece e os termômetros sobem um pouco nas montanhas da Serra Gaúcha, é possível fazer alguns passeios (mais confortavelmente) ao ar livre. Entre os pontos de contemplação, há opções para quem caminhar em parques ou, ainda, avistar as belezas naturais das alturas.

Cascata do Caracol

Em Canela, nos dias de sol, o verde das araucárias e das demais árvores se contrasta com o azul do céu. Fica fácil de se ver a queda d’água. Já quando a neblina aparece e encobre tudo, apesar de sua grandiosidade, a Cascata do Caracol parece brincar de esconde-esconde.

Da rocha, onde se abre uma fenda, a água cai de uma altura de 131 metros. O nome veio pela semelhança com o formato de um caracol, se vista de cima.

BOOKING.COM: RESERVE SUA HOSPEDAGEM AQUI!

Em volta da cascata nasceu o Parque da Serra. Para avistá-lo de perto, a novidade são os bondinhos aéreos. Ao todo são 12, que levam até oito pessoas em cada cabine, num percurso de 840 metros.

O percurso passa por três estações diferentes. O embarque é feito na estação central e, de lá, sobe até a estação animal. Depois, desce de uma só vez, passando da estação central até a estação cascata, onde se vê mais de perto o vale e a queda d’água.

Saiba mais:

Na estação animal é possível fazer uma trilha curta, sem a necessidade do acompanhamento de guias, em meio a mata nativa. No término do percurso está montada a exposição das esculturas que falam. São peças de animais talhados em madeiras que, graças a criatividade e ao trabalho do artista japonês Masaraharu Hata, ganham o som do animal quando tocadas com um rolo de madeira.

Lago Negro

Já em Gramado, quando o frio deixa de ser tão intenso, os parques viram o refúgio dos moradores e turistas. O Lago Negro é um dos cenários mais bonitos da cidade. Sua beleza foi reconstruída em cima das cinzas de um incêndio que assolou o local, antes conhecido como Vale do Bom Retiro.

Na beira das águas verdes escuras, refletem os pinheiros e as árvores trazidas da Floresta Negra, localizada na Alemanha. No verão da Serra Gaúcha, a paisagem ganha o destaque azul das hortênsias que funcionam como um cinturão do parque. Já durante o inverno, o contraste da cor é feito pelas azaleias.

Em toda a sua margem foram construídos passeios para caminhada. Também é possível passear pelas águas com pedalinhos. O Lago Negro foi construído por Leopoldo Rosenfeldt e a visitação é gratuita.

Lago Joaquina Rita Bier

Outro ponto de encontro dos gaúchos para tomar o seu chimarrão é o Lago Joaquina Rita Bier, também em Gramado. São 17 mil metros quadrados, espalhados por jardins coloridos e araucárias com mais de 70 anos. Entre os jardins, ainda existe uma pequena ilha que pode ser acessada por meio de uma ponte.

Como chegar?

– Cascata do Caracol

Estrada da Ferradura, 699 – Caracol

Telefones: (54) 3878-3250 / (54) 3878-3251

 

– Lago Negro

Rua A. J. Renner, s/n – Lago Negro

 

– Lago Joaquina Rita Bier

Rua Leopoldo Rosenfeld, 919 – Centro

Salve essas dicas no Pinterest e aproveite melhor a sua viagem pelo Brasil!

 

booking.com faz cotação em diversas empresas/acomodações, garantindo os melhores preços e opções pra você. Reservando através deste link, você não paga nada a mais por isso e o Meu Destino é Logo Ali recebe uma contribuição. Com isso, você ajuda a manter o blog sempre atualizado e com novos conteúdos!

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *