Seguindo pela costa de Porto Seguro, além de belas praias, barracas de praia com ótima estrutura, hotéis e pousadas, o destino pode ser também o reencontro com a história do Brasil. A cidade abriga diversas reservas dos índios pataxós.

A tecnologia já chegou até mesmo nas aldeias indígenas em Santa Cruz de Cabrália. Lá os índios pataxós usam calça jeans, moletom e até celular. Ainda assim, as tradições não se perderam e, sempre que chegam novos visitantes, eles fazem questão de apresentar suas danças, pinturas, compartilhar palavras do vocabulário e também mostrar o seu artesanato.

Maressa, de nove anos, é uma das indiazinhas que já aprendeu a tradição da pintura facial. Ela explica que, de acordo com o estado civil da mulher, as linhas e cores utilizadas são diferentes.

Dentro de outra oca, agora menor, com olhos fixos, a mão experiente da menina mistura a tinta proveniente do carvão e corantes naturais, deixados em cima de um fogão de lenha. Com uma espátula, a tinta é depositada na pele. Os traços finos refletem a delicadeza da menina.

Saiba mais:

Enquanto os desenhos vão ganhando cores amarelas e expressão, ela conta que possui mais cinco irmãos e aprendeu com a mãe a tradição da família pataxó. Maressa diz ainda que, em dias de festa, todos da aldeia se pintam. De longe, o cacique da tribo observa a menina com olhos de professor e se orgulha da pequena.

Os índios pataxós confeccionam ainda, de maneira rudimentar, diversos utensílios domésticos, como colheres, tigelas, além de brincos e colares. O colorido dos cocares e enfeites de braço se multiplicam nas barraquinhas montadas dentro de uma grande oca.

Próximo da orla, uma feira de artesanato e lembranças reúne centenas de expositores e artesãos ao longo de 2 quilômetros. Além do artesanato indígena, camisetas de Porto Seguro e itens de moda praia também são encontrados nas lojas. Ali é considerado o melhor endereço para compras por conta do preço atraente das mercadorias e da variedade de produtos.

No final da feira, já próximo da Praia de Coroa Vermelha, fica uma praça com uma grande cruz no centro. O monumento marca o local onde foi celebrada a 1ª missa no Brasil pelos portugueses, em 1500.

Como chegar em Santa Cruz de Cabrália e visitar uma aldeia Pataxó?

Entre tantas agências de turismo de Porto Seguro, a agência Porto Nativo se diferencia pela receptividade, educação e atenção da equipe, além dos guias qualificados.

A Porto Nativo busca seus clientes nos hotéis e pousadas em que estão hospedados e o transporte até Santa Cruz de Cabrália e as aldeias pataxós é feito em carros confortáveis e seguros, sempre na companhia de um guia de turismo. Os guias da agência, aliás, são competentes e dominam a história do local e sabem de diversas curiosidades históricas e culturais que enriquecem o passeio.

A frota da Porto Nativo conta com três vans, um micro-ônibus e três carros pequenos. A visita para Santa Cruz de Cabrália e a Aldeia Pataxó faz parte do passeio da Rota do Descobrimento, que passa ainda pelo Centro Histórico de Porto de Seguro. As saídas são sempre às quintas-feiras.

Outros serviços que a agência oferece são os transfers, mergulho, passeio de quadriciclo em Porto Seguro, visita no Recife de Fora e na Reserva da Jaqueira, para vivenciar a rotina na aldeia, com explicações dos equipamentos de caça e também almoço típico.

*A viagem para Santa Cruz de Cabrália teve apoio da agência Porto Nativo. Apesar disso, as informações aqui descritas são livres de qualquer contraprestação.

Salve essas dicas no Pinterest e aproveite melhor a sua viagem pelo Brasil!

1 Comment

  • Victor Nunes
    Posted 16/12/2019

    Maravilhoso! Recomendo a quem visita Porto Seguro, uma experiência sem igual no local onde nasceu nosso país. E, sem dúvidas, a Porto Nativo é número um para quem quer conhecer os principais pontos com a família…

Deixe um comentário

Newsletter

Deixe aqui seu e-mail para receber as novidades!

Meu Destino é Logo Ali  2020. Todos os direitos reservados.